Estação Vila Olímpia da CPTM é primeira estação sustentável entregue no Brasil

As 14 melhorias realizadas vão beneficiar os passageiros, zerar a conta de luz da estação e economizar mais de 150 mil litros de água por mês


Quem passou na Marginal Pinheiros, SP, no mês de maio 2021, se deparou com a grande comunicação estampada no prédio matriz do Banco Santander, a imagem do trem rodeado de natureza anunciava a inauguração do inovador projeto batizado como Trilhos Verdes.

E é ali mesmo, na Marginal Pinheiros, que está localizada a estação Vila Olimpia da CPTM, primeira a receber um conjunto de 14 iniciativas sustentáveis que aumentarão a eficiência no uso de recursos naturais e vão melhorar a qualidade da experiência dos mais de 35 mil de passageiros por dia útil (média alcançada antes da pandemia).


O projeto, fruto da parceria entre o GRUPO VG e Eletromídia é a primeira estação de trem patrocinada pelo setor privado no Brasil e foi viabilizada financeiramente pelo Banco Santander com a proposta de utilizar o espaço para comunicar ao público sobre o caráter sustentável das instalações e detalhar as mudanças que foram realizadas no local em prol da preservação ambiental e de recursos.


Conheça as melhorias sustentáveis implantadas na estação


Energia Solar

Foram instaladas 234 placas solares sobre a cobertura do local. Juntas, elas geram em média 8.500 Kw/h de energia por mês, o que permitirá zerar a conta de energia elétrica da estação Vila Olímpia, hoje em torno de R$ 300 mil por ano, montante que deixa de ser custeado pelo setor público.

energia solar estação vila olimpia santander
Placas de energia solar podem economizar até R$ 300 mil mensais com gastos de energia

Wetlands para Tratamento de Esgoto

Um sistema de Wetlands projetado e implantado pela ONE NBS, empresa do GRUPO VG, para o tratamento do esgoto e armazenagem de 46 mil litros de água de reuso que permitirá a economia de mais de 150 mil litros de água potável por mês. O volume será coletado dos banheiros da estação, reformados pelo Santander, com o intuito de acelerar a despoluição do Rio Pinheiros. Depois do uso sanitário, o efluente passa por jardins filtrantes localizados entre os trilhos do trem, onde plantas e microrganismos que trabalham em simbiose com as raízes das plantas fazem a transformação dos elementos poluentes para a purificação da água. Esse método filtra as impurezas, e torna a água própria para uso na rega dos jardins de toda a estação.

Incentivo a redução de GEE

A estação ganhou um novo bicicletário, com capacidade para 90 bicicletas. Com ele, será possível evitar a emissão de 360 kg de CO2 diariamente. O cálculo considera que cada bicicleta representa um carro a menos circulando na cidade e que cada veículo emite, em média, 4 kg de CO2 por dia. Para facilitar o transporte de bicicletas nas escadas, foram instaladas canaletas exclusivas nas laterais, e pontos de recarga para bicicletas elétricas foram disponibilizados na estação.

bicicleta elétrica estação vila olimpia
Pontos para facilidade de transporte de bicicletas e carregadores para modelos elétricos

Paisagismo Sustentável

São 1.454 m² de área verde, incluindo o plantio de árvores no jardim central e inúmeros jardins verticais, pela Vertical Garden, localizados dentro e fora da estação, compostos por nove espécies nativas capazes de reduzir a temperatura, melhorar a qualidade do ar e atenuar o odor do Rio Pinheiros.

“Para os jardins da estação Vila Olímpia da CPTM foram escolhidas plantas nativas, combinando tons, folhagens e texturas. Além do ganho estético, é importante também falar da funcionalidade, porque os jardins verticais são irrigados com água de reuso dos banheiros, que passam por purificação através do nosso sistema de wetlands. Além disso, ajudam no conforto térmico do ambiente, na purificação do ar, e cria uma barreira acústica no entorno”, explica Bruno Watanabe, CEO do Grupo VG.
Jardins Verticais Estação Sustentável
Jardins Verticais purificam o ar, melhoram conforto térmico e acústico do local

Reciclagem de Materiais

Entre as propostas adotadas está também a instalação de estações de coleta seletiva de lixo, produzidas com a reciclagem de tubos de pasta de dente, bebedouros, bancos com pontos de carregamento USB, e marquise de proteção contra a chuva, todos produzidos com madeira reciclada, e a recriação do paisagismo da estação.

Estação Sustentável Santander
Lixeiras produzidas de materiais reciclados dão a partida para o novo processo de coleta seletiva de lixo

Ao lado das catracas, estará o LAB Santander, espaço de convivência com assentos para descanso, pontos para recarga de celular. Painéis trarão explicações sobre o funcionamento das placas de energia solar e o tratamento do esgoto dos banheiros, além de informações sobre desmatamento e transportes alternativos.

Arte & Bem-estar Urbano

Além das melhorias em sustentabilidade, a estação Vila Olímpia ganhou uma obra do artista plástico Kobra, em referência ao uso do rio Pinheiros na primeira metade do século 20. Com dimensões de 10,7 metros de comprimento por 2,6 m de altura, o painel usa cores vibrantes para retratar remadores cruzando as águas, até então limpas, do Pinheiros.


Um marco na sustentabilidade Urbana de São Paulo

O projeto Trilhos Verdes extrapola as soluções geralmente apresentadas pelas empresas de OOH porque, em vez de telas ou ferramentas que propiciem entregas aos anunciantes, desta vez o foco do projeto são as pessoas e o espaço urbano”, comenta Alexandre Guerreiro, CSO da Eletromídia.


Além de patrocinar toda a obra de revitalização, o Santander será responsável pela manutenção mensal da estação durante três anos. Espalhados em diversas áreas, painéis informativos vão mostrar à população qual é a economia de água e luz, além do volume de materiais recicláveis coletados pelo Santander mensalmente.

Segundo a vice-presidente de Comunicação, Marketing e Relações Institucionais do Banco Santander, Patrícia Audi, uma das responsáveis pelo projeto, o maior desafio foi fazer a obra com a linha funcionando, o que foi facilitado pela Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM).


De acordo com ela, a modernização ecológica tem infraestrutura própria para gerar, captar e reaproveitar a maior parte dos insumos necessários para a operação do local.

"Pelo menos 70% de toda energia usada na estação é renovável, mas se tivéssemos situação de sol pleno, seria 100%", disse. Com a instalação de 234 placas solares sobre a cobertura da estação Vila Olímpia, o espaço vai gerar 8.500 quilowatts-hora por mês — energia suficiente para abastecer cerca de 40 casas. O resultado vai zerar a conta de energia, o que representa a economia de quase R$ 300 mil por ano, valor hoje custeado pelo governo.

A modernização também vai contribuir para a preservação de recursos naturais. Isso porque o novo sistema permite a captação e armazenamento de até 150 mil litros de água por mês para reuso em irrigação de áreas verdes.


“O esgoto que antes era visto como um problema agora passa a ser uma nova fonte de recursos, e o que antes gerava poluição do Rio Pinheiros agora passa a ser um belo jardim onde o tratamento é feito sem produtos químicos e a água ainda volta limpa e sem odor para dentro da estação irrigando os jardins verticais e o paisagismo", comenta Bruno Watanabe, CEO do GRUPO VG.


Confira mais fotos da estação sustentável Vila Olímpia

Água de Reuso Estação Santander Vila Olímpia
Banheiros receberam reforma e implantação de sistemas para economia do uso de água
LED Estação Sustentável Santander Vila Olímpia
Telas em LED passam informações sob dados sustentáveis da estação
Paisagismo Estação Sustentável Vila Olimpia CPTM
Jardins Recém implantados com mudas rustificadas crescem em menos de 20 dias.
Musgo Estação Santander Vila Olímpia
Musgos Naturais Estabilizados foram implantados internamente

Quer mais práticas sustentáveis como essa em sua cidade? Deixe seu comentário e compartilhe essa matéria!

minidoc_grupovg.jpg

MINI DOC: O PROJETO DE INTEGRAÇÃO DA SUSTENTABILIDADE, DESING & BRANDING

Assista ao documentário e conheça na prática a integração de discplinas das empresas do GRUPO VG: Design, Sustentabilidade, Branding & ESG.

Post Archive 

Tags