O que é ESG e por que é tão importante?

Atualizado: Jun 29

No mercado corporativo, quando se fala de meio ambiente, sustentabilidade e outros temas co-relatos normalmente esbarramos nessa sigla: ESG. O que é o ESG proativo e qual sua importância?




Primeiro. O que é ESG?

ESG. Essa sigla composta por três letras está super em alta no mundo corporativo hoje em dia. Não é preciso muito esforço para ouvi-la com frequência nos corredores das empresas mais modernas. Nos últimos anos, muitos negócios acabaram por se basear no ESG para nortear os rumos dos negócios dada a sua importância.


Mas, afinal de contas, o que é ESG? A sigla em questão é oriunda do inglês, precisamente “environmental, social and governance”, que traduzido para o português significa ambiental, social e governança. De forma geral, essa ideia nasceu para medir as práticas ambientais, sociais e de governança de uma empresa.Vamos analisar esses conceitos:


Ambiental (Environmental)

De acordo com a especialista em ESG da XP Inc., Marcella Ungaretti, este primeiro tópico se refere a como a empresa reduz o impacto ambiental e se preocupa com questões como aquecimento global e emissão de carbono; eficiência energética; gestão de resíduos; poluição e recursos naturais. Ou seja, com as práticas ambientais e sustentáveis.

Social (Social)

Já a letra S, de Social, é como a empresa se relaciona com seus parceiros: clientes, colaboradores e funcionários. Alguns dos temas envolvidos nesta pauta são inclusão e diversidade; direitos humanos; engajamento dos funcionários; privacidade e proteção de dados; políticas e relações de trabalho; relações com comunidades e treinamento da força de trabalho.

Governance (Governança)

Quando o assunto é governança — última letra da sigla — trata-se de como a companhia adota as melhores práticas de gestão corporativa. Como diversidade no conselho; ética e transparência; estrutura dos comitês de auditoria e fiscal; e política de remuneração da alta administração; canal de denúncias.


ESG e suas Vantagens


Houve um tempo em que uma posição sobre questões de ESG era uma tática de relações públicas. No entanto, no clima de negócios em rápida mudança de hoje, a atenção às questões do ESG está se tornando fundamental para o sucesso competitivo a longo prazo.


Os principais investidores reconhecem isso e estão deixando claro que esperam que as empresas que possuem na carteira tomem uma abordagem proativa sobre as políticas e mensagens do ESG.


Em sua carta anual aos CEOs, o CEO da Blackrock, um fundo de investimentos, Larry Fink, escreveu:

"a capacidade de uma empresa de gerenciar questões ambientais, sociais e de governança (ESG) demonstra a liderança e a boa governança que é tão essencial para o crescimento sustentável, e é por isso que estamos cada vez mais integrando essas questões em nosso processo de investimento".

As vantagens de abordar proativamente as questões do ESG vão além de apaziguar os acionistas institucionais e criar uma boa estratégia de marketing. Um robusto programa de ESG pode abrir o acesso a grandes pools de capital, construir uma marca mais forte e promover o crescimento sustentável a longo prazo.


O que é ESG
Gráfico apresenta o crescimento exponencial de Bilhões de Dólares em investimentos ESG

A seguir listamos algumas vantagens em aplicar o ESG nas politicas organizacionais de um empresa:


Programas fortes de ESG podem aumentar a liquidez das ações

Tanto investidores individuais quanto institucionais estão investindo enormes quantias de capital em corporações que governam e operam de forma ética e sustentável.

O investimento sustentável e de impacto está crescendo ativamente a taxas de dois dígitos. De fato, de acordo com a Fundação SIF dos EUA, os investimentos totais domiciliados nos EUA em 2015 usando estratégias sustentáveis, responsáveis e de impacto (SRI) atingiram US$ 8,72 trilhões, um aumento de 33% em relação a 2014 e um aumento de 14 vezes desde 1995. Isso representa cerca de $1 de cada $6 dólares sob gestão.


Muitas empresas de investimento também estão incorporando as questões de ESG em sua avaliação de risco de portfólio, o que é um indicador revelador de que o capital continuará a fluir para companhias com fortes programas e práticas de ESG.


Iniciativas ESG geram valor competitivo

Empresas que reconhecem a importância de se adaptar às mudanças nas condições socioeconômicas e ambientais são mais capazes de identificar oportunidades estratégicas e enfrentar desafios competitivos. Políticas proativas e integradas do ESG podem ampliar o fosso competitivo de uma empresa em relação a outros players do setor.


Executivos que tomam medidas para melhorar as condições de trabalho, melhorar a diversidade de suas equipes, retribuir às suas comunidades e tomar uma posição sobre políticas ambientais sustentáveis também fortalecem a marca da empresa.


À medida que os millennials, em particular, se tornam funcionários, consumidores e investidores, eles tomam nota de bons players corporativos e os recompensam com lealdade.


Uma posição proativa sobre questões do ESG mantêm a paz com o 3° Setor

Ativistas e ONG's estão sempre atentos as práticas adotadas pelas empresas e têm apontado suas fraquezas de governança à mídia e população, cada vez mais o foco tem sido as equipes de gestão e conselhos que não conseguem tomar uma posição proativa sobre possíveis questões ambientais, sociais e governamentais.


Por isso, o risco em práticas greenwashing ou simplesmente não considerar essa "auditoria" feita pelo 3° setor, pode ser devastador para uma marca.

Os investidores de ESG são leais

Os investidores do ESG são investidores baseados em valores que estão mais interessados no que acontece durante a próxima década do que no próximo trimestre; eles entendem que a mudança leva tempo.


Os executivos que incorporam o ESG em seu mandato muitas vezes trabalham ao lado de uma empresa para fortalecê-lo, pois estão mais interessados em construir valor duradouro durante um período de vários anos do que em lançar as ações no curto prazo para obter um caixa rápido.


Empresas com valores de ESG tendem a atrair e manter os melhores talentos

Principalmente os millennials se preocupam profundamente que as empresas para as quais trabalham (e as empresas que apoiam) abracem valores alinhados com os seus, e a responsabilidade ambiental e social são muito importantes para eles. Colaboradores apaixonados pela organização, que são leais e que se sentem valorizados impulsionam uma boa vontade intangível que fortalece a marca da empresa e melhora a produtividade geral da força de trabalho.


Melhores Práticas em ESG

Para perceber o benefício total de uma postura proativa em questões ESG, é importante aderir a algumas práticas recomendadas como benchmarking que fortalecem o programa ESG da empresa:


1. Identifique os critérios ESG apropriados para sua indústria e sua empresa

Ao desenvolver um quadro de políticas ESG, as empresas não devem tentar ser todas as coisas para todas as pessoas. Em vez disso, identifique de três a cinco critérios mensuráveis de ESG que sejam relevantes para seus negócios e seus círculos de interessados, esteja sempre alinhado com suas estratégias corporativas.


Uma maneira eficaz de fazer benchmark da estrutura ESG da sua empresa em relação aos seus concorrentes e parceiros é pesquisar rankings do setor dentro de algum importante índice de sustentabilidade ou práticas sociais.

2. Busque a inclusão dentro dos índices relevantes de ESG

A maioria dos pools de capital ESG aplicam seu próprio conjunto único de critérios de inclusão e/ou exclusão para determinar quais empresas incluir.


No Brasil citando apenas um exemplo a B3 reestruturou os indices ISE B3 (Indice de Sustentabilidade Empresarial) e ICO2 B3 (Indice de Carbono Eficiente) anunciou uma parceira com a Standard & Poor's (S&P) e criou o indice S&P/B3 Brazil ESG. A intenção é lançar um indice ESG com as empresas listadas no mercado brasileiro.


Já nos EUA para se qualificar para a inclusão na Série ftse4good index, as empresas devem estar trabalhando para a sustentabilidade ambiental, apoiando os direitos humanos universais, garantindo boas normas de trabalho da cadeia de suprimentos, agindo contra o suborno e mitigando e adaptando-se às mudanças climáticas.

Empresas que foram identificadas como tendo interesses comerciais em tabaco, sistemas de armas nucleares ou armas de fogo, no entanto, são excluídas dessa série.

3. Comprometimento com a verdade

Uma vez que sua empresa tenha determinado os critérios apropriados para a estrutura ESG, os próximos passos são estabelecer métricas, mensurá-las regularmente e compartilhar o progresso publicamente; caso contrário, a empresa pode até ser acusada de praticar "Greenwashing". Ou seja, são culpadas espalhar uma narrativa de relações públicas de altos padrões para proteções ambientais, mas não agem de acordo.


As empresas que estão realmente comprometidas em executar suas políticas de ESG fazem delas uma prioridade de gestão sênior do CEO e do conselho geral, e gerenciam métricas do ESG.

Elas relatam voluntariamente seus desempenhos ESG e avançam para difundi-las a todas as partes interessadas através da carta anual de CEO, relatórios anuais, comunicações corporativas internas e/ou relatórios anuais de sustentabilidade no site da corporação.


Como bom exemplo de transparência, podemos citar o caso da gigante do mercado de alimentação Nestlé que reconheceu em relatório interno que 60% dos seus produtos não são saudáveis e que tomará medidas para reduzir esses índices.


4. Tenha parceiros com as mesmas preocupações

Esteja atento ao comportamento de seus parceiros e fornecedores. Crie políticas de análise para se certificar de que a empresa possuí normas reais de compliance e governança, planos de redução do CO2 e seus produtos ou serviços não sejam decorrentes de trabalhos insalubres ou práticas de extrativismo ambiental.

Para implantar o ESG de modo proativo, desenvolva projetos que impactem positivamente nas questões ambientais, sociais e estejam dentro de altos critérios de Governança. Nem sempre é fácil unir todas essas disciplinas com o mesmo peso em um único projeto, mas é possível buscar apoio de parceiros especialistas em formular e auxiliar na gestão e execução de tais projetos.


Existem várias organizações que podem ajudar a fazer isso, entre elas, no Brasil, o Grupo VG possuí uma equipe multidisciplinar em suas 4 empresas (Vertical Garden, One, G-Brands e Watanabe) que pode fortalecer e integrar suas práticas ESG em todos os âmbitos.


A importância da Educação nas práticas ESG


Como vimos ESG é uma questão profunda que tem impactado todos os setores da economia. Nesse cenário, vale destacar que a educação não pode mais repetir padrões do século passado. Conhecimentos tradicionais não são mais suficientes.


Especialistas, cada vez mais apontam que a escola não se limita apenas ao espaço tradicional da sala de aula, mas os meios de educação precisam ampliar seu olhar para a comunidade e para o papel da cidadania. O pilar dedicado à inteligência de vida, ao comportamento em sociedade, é tão importante quanto o conhecimento tradicional.

Segundo Elizabeth Martos, Coordenadora de Pós Graduação na Trevisan Escola de Negócios e Diretora de Compliance da Aderatech Compliance, ao educar os novos profissionais para as práticas de ESG, as instituições de educação geram uma espécie de “carma bom”: “Para cada pessoa que educamos para as práticas de ESG, conseguimos alcançar muitas outras”.


Este tema, aliás, foi tratado no evento XP Expert ESG 2021, maior evento do ano sobre práticas ESG, dada a importância da educação como pilar para a consolidação de um novo mercado que tenha tais práticas como padrão, algo natural. A seguir, assista a mesa redonda com Bruno Watanabe, CEO do GRUPO VG, e Gustavo Vitti, VP de Pessoas e Sustentabilidade do Ifood onde trazem suas visões, provocações e entendimento como especialistas que estão atentos a um novo mercado que exige profissionais aptos a se adaptar com velocidade em um aprendizado contínuo.

Acompanhe nossos canais para mais informações sobre o tema!

minidoc_grupovg.jpg

MINI DOC: O PROJETO DE INTEGRAÇÃO DA SUSTENTABILIDADE, DESING & BRANDING

Assista ao documentário e conheça na prática a integração de discplinas das empresas do GRUPO VG: Design, Sustentabilidade, Branding & ESG.

Post Archive 

Tags